Artigos

Mundo da Óptica: Espessura das Lentes

Prancheta 1

Desde o início da existência de Lentes Oftálmicas, os fabricantes tentaram incessantemente tornar as lentes sempre mais finas e mais leves para corresponder às expectativas dos portadores. Assim, os índices de refração dos materiais tornaram-se mais elevados, as superfícies das lentes foram asferizadas, a surfaçage das lentes visou sempre a espessura mínima e, sobretudo, os pesados materiais minerais foram substituídos por materiais orgânicos muito leves. Efectivamente, para produzir lentes simultaneamente estéticas, porque finas, e confortáveis, porque leves, é necessário combinar muitos parâmetros . Veja em detalhe os que reduzem a espessura.

A espessura de uma lente resulta da combinação de 3 fatores: índice de refração do material, asferização das superfícies e espessura da surfaçage.

1. Efeito do índice de refração do Material

É o principal fator de redução da espessura de uma lente. Para uma dada potência, quanto mais elevado o índice de refração do material, mais fina é a lente. Mais precisamente, quanto mais alto o índice, maior a capacidade do material para desviar os raios luminosos, menor a curvatura necessária da face convexa e da face côncava, mais fina e plana é a lente.

ÍNDICE DE REFRAÇÃO - DEFINIÇÃO

CARACTERIZA A VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA LUZ NUM MEIO TRANSPARENTE RELATIVAMENTE À VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DESTA NO VÁCUO. TRADUZ, POIS, A MEDIDA DA CAPACIDADE DE REFRAÇÃO DUM MEIO TRANSPARENTE, OU SEJA, DA CAPACIDADE DE DESVIO DA LUZ NO LIMITE DA SEPARAÇÃO ENTRE DOIS MEIOS. PORTANTO, FORNECE UMA AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DO MATERIAL PARA PRODUZIR UM EFEITO ÓPTICO. O ÍNDICE DE REFRAÇÃO DE UM MEIO TRANSPARENTE É A RAZÃO N=C/V DA VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA LUZ NO VÁCUO (C) E DA VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA LUZ NESSE MEIO (V). OS ÍNDICES DE REFRAÇÃO DOS MATERIAIS UTILIZADOS EM ÓPTICA OFTÁLMICA VARIAM ENTRE 1.5, NO CASO DE MATERIAIS MAIS TRADICIONAIS, E 1.76 (MATÉRIA ORGÂNICA) OU 1.9 (MATÉRIA MINERAL) NO CASO DOS MATERIAIS MAIS RECENTES.

2. Efeito da asferização das superfícies

A esferização das superfícies é um fator indireto de redução da espessura: permite produzir lentes mais planas e consequentemente mais finas. Mais precisamente, a asferização permite utilizar bases - ou curvaturas da face convexa - mais planas, sem alteração das qualidades ópticas da lente. No caso das lentes convexas, a flecha da face convexa (ou seja, a sua altura) torna-se assim menor e a espessura no centro da lente pode ser ligeiramente reduzida por aproximação da face côncava, além disso, o achatamento global da lente reforça a impressão de redução da espessura. No caso das lentes côncavas, naturalmente planas, o efeito da asferização na espessura é menor mas ainda significativo. Esta asferização óptica não deve ser confundida com a asferização geométrica, espécie de abatimento periférico por vezes efetuado nos bordos das lentes de forte potência e que depende mais da geometria do que da óptica.

2. Efeito da espessura de surfaçage

Um fator importante de redução da espessura de uma lente reside nas possibilidades de surfaçage. As condicionantes variam consideravelmente em função das propriedades mecânicas do material - rigidez e solidez: a espessura mínima no centro de uma lente côncava pode variar entre 1,0 mm e mais de 2,0 mm, consoante o material e a potência; do mesmo modo, a espessura mínima no bordo de uma lente convexa, no ponto mais fino, pode variar entre menos de 0,5 mm e mais de 1,0 mm.

O artigo completo encontra-se na fonte deste artigo.

Fonte: Cadernos de Óptica Oftálmica - Materiais e Tratamentos - Varilux University

 

 

Imprimir Email